Análise da temporada Verão 2017 de animes – Será que temos algum que vale a pena?

Depois de uma sessão de expectativas, realizamos o onipotente teste dos três episódios onde os três primeiros episódios são vistos e julgamos se vale ou não a pena continuar a ver. Parece simples, mas essa uma prova de fogo que define quais animes serão assistidos pela temporada toda e quais afundarão no mar da decepção. Não recomendamos ver apenas um episódio, pois as vezes o plot demora a se desenvolver.

 

1.    New Game 2

Gênero: Slice of Life / Comédia

Estúdio: Doga Kobo

Diretor: Yoshiyuki Fujiwara

Sinopse

A protagonista Aoba Suzukaze consegue se graduar no colégio e acaba encontrando um emprego na sua produtora favorita de video games. A história tenta contar o processo da criação de um jogo da sua concepção até o produto final.

Comentários

Como foi falado na análise anterior, é exatamente a mesma coisa da temporada anterior, infelizmente. Os dados no myanimelist refletem isso onde o anime possui um score 0,2 maior em relação a temporada anterior, mas não conseguiu manter nem metade da popularidade. Cogitando parar de ver.

Hype: 8/10

Número de episódios vistos: 3

Realidade: 6,5/10

 

2.    Katsugeki/Touken Ranbu

Gênero: Ação / Fantasia

Estúdio: Ufotable

Diretor: Toshiyuki Shirai

Sinopse

A era dos samurais está acabando e o Japão se divide em duas facções: os pró-shogunato e os anti-shogunato. O destino do mundo começa a ficar em perigo quando um grupo do futuro chega para tentar alterar o rumo da história. Para proteger a verdadeira linha do tempo, Saniwa acorda as almas de 2 guerreiros que estavam presas em suas espadas. Agora, os 2 partem em uma jornada para derrotar os vilões que querem destruir a história.

Comentários

Boa qualidade na animação e design de personagens. Esse tinha potencial, mas a Ufotable está entregando um material com problemas de andamento e enredo confuso. Dar a clássica desculpa do “eles são viajantes do tempo” para esconder furos na história não cola mais. Paramos de acompanhar.

Hype: 7/10

Número de episódios vistos: 3

Realidade: 5,5/10

 

3.    Fate/Apocrypha

Gênero: Ação / Histórico / Sobrenatural / Drama / Magia / Fantasia

Estúdio: A-1 Pictures

Diretor: Yoshiyuki Asai

Sinopse

A história acontece em um mundo paralelo ao da série Stay Night. Após a terceira guerra pelo Santo Graal, o objeto desaparece misteriosamente. Após anos, Yggdmillenia, uma família de magos que vivem na Romênia, declara que eles sempre estiveram em posse do objeto e que irão se separar da associação de magos. Em resposta, a associação envia 15 magos para recuperar o santo graal. Entretanto, 14 deles são mortos por uma figura misteriosa, enquanto o único mago restante consegue ativar o sistema do santo graal. Com isso, 14 servos no total são invocados, sendo 7 para a facção preta, Yggdmillenia e 7 para facção vermelha, a associação de magos. E assim se inicia a grande guerra do santo graal.

Comentários

Houveram mudanças na staff. A qualidade técnica ainda está lá, entretanto algumas falhas no enredo estão aparecendo. A primeira derrota de um servo foi um momento onde olhamos para tela esperando algo e no fim as únicas palavras que saíram foram: “Acabou? Espera, deve ter mais. É só isso mesmo?”. A expectativa era grande por causa do sucesso de Fate/zero e Unlimited Blade Works, mas eles estão entregando, até o momento, algo apenas melhor que o Fate Stay Night de 2006. Ainda assim, dá para continuar a ver.

Hype: 10/10

Número de episódios vistos: 5

Realidade: 7/10

 

4.    Hajimete no Gal

Gênero: Comédia / Romance / Ecchi / Escolar / Shounen

Estúdio: NAZ

Diretor: Hiroyuki Furukawa

Sinopse

A temporada do amor começa, porém achar uma namorada é mais difícil do que Junichi pensava. Na tentativa de brincar com ele, os amigos de Junichi o forçam a se declarar para uma garota chamada Yame Yukana. Esperando o pior, ele vai se declarar para a garota, mas as coisas não acontecem como o previsto.

Comentários

Na análise anterior: “Infelizmente, a história não tem originalidade sendo apenas mais um ecchi para encher grade de horário.”. Acertamos em cheio. Tem seus momentos bons de comédia, mas o resto é chato e monótono (como a maioria dos ecchis de temporada).

Hype: 2/10

Número de episódios vistos: 3

Realidade: 4/10

 

5.    Kakegurui

Gênero: Mistério / Terror Psicológico / Drama / Escolar / Shounen

Estúdio: MAPPA

Diretor: Yuuichirou Hayashi

Sinopse

Colégio particular Hyakkaou, uma instituição para os privilegiados com um currículo peculiar. Nesse lugar onde apenas os ricos estão, o que te faz o melhor não é sua capacidade atlética ou inteligência, e sim, a sua capacidade de ler as pessoas, negociar e ganhar apostas. Com isso, os ganhadores vivem como reis, enquanto os perdedores são humilhados. Entretanto com a chegada de Yumeko Jabami, todos os alunos irão aprender o que realmente significa apostar alto.

Comentários

Grata surpresa na temporada. O anime está mostrando um enredo onde a tensão fica no ar quase todo episódio. Alguns animes já mostraram que colocar um louco na história costuma dar certo, então que tal colocar quase todo mundo como sádico e viciado em apostas? Está dando muito certo. Agora é esperar para ver se o anime irá ter sua nota aumentada ao longo da temporada. Um dos melhores até agora.

Hype: 6/10

Número de episódios vistos: 5

Realidade: 8/10

 

6.    Koi to Uso

Gênero: Drama / Romance / Escolar

Estúdio: LIDENFILMS

Diretor: Takuno Seiki

Sinopse

Mentiras são proibidas e amor mais ainda. No futuro, o governo japonês arranja o casamento do jovem assim que ele completa 16 anos. As pessoas não se dão ao trabalho de procurar alguém para elas, pois acreditam que o governo irá garantir sua felicidade. Yukari Nejima é um jovem de 15 anos, sem habilidades atléticas ou acadêmicas e que vive em uma pequena cidade. A única coisa que ele tem a mais para mostrar é uma paixão ardente em seu coração. Então o que aconteceria com ele caso se apaixonasse em um mundo onde isso é praticamente proibido?

Comentários

A história desse anime está muito boa com um enredo quase perfeito até agora. Existe um romance crú e realista sem aqueles floreios onde um beijo só rola no episódio final. Meu único problema está sendo o protagonista que varia entre ser uma pessoa proativa ou reativa. Eles tentam passar o sentimento de vergonha como desculpa, mas fica parecendo que eles não decidiram muito bem como seria a personalidade do personagem. Tirando isso, recomendado.

Hype: 6/10

Número de episódios vistos: 3

Realidade: 7,5/10

 

7.    Ballroom e Youkoso

Gênero: Comédia / Esporte / Drama / Romance / Escolar / Shounen

Estúdio: Production I.G.

Diretor: Yoshimi Itazu

Sinopse

Tatara é um estudante do terceiro ano que nunca mostrou ter talento durante o colégio, mas ainda assim busca algo que goste. Ele acaba se envolvendo em uma briga e é resgatado por Sengoku, um dançarino profissional, que o leva para seu estúdio de dança. Nesse lugar, Tatara acaba encontrando sua colega de colégio chamada Shizuku Hanaoka e Kiyoharu, um prodígio da dança. Ao fazer algumas aulas, Sengoku percebe que Tatara tem um grande potencial e decide tornar-se seu treinador. Assim começa a aventura de Tatara no apaixonante mundo da dança.

Comentários

Até o momento está entregando exatamente o que prometeu. Uma história cativante com uma animação excelente. Algumas pessoas estão reclamando do estilo do desenho, em especial, o pescoço dos personagens. “Partiu ver o anime das girafas” ou “Como seríamos se tivessemos evoluídos de girafas” são frases que vocês irão ler em foruns. Apenas duas coisas que podem ser ditas: os traços daquela forma ficam mais similares ao do mangá e deixem os animadores experimentarem novos estilos. Ficar sempre no mesmo estilo de arte digital acaba deixando os animes sempre com os mesmos aspectos.

Hype: 8/10

Número de episódios vistos: 4

Realidade: 8/10

 

8.    Netsuzou Trap

Gênero: Drama / Shoujo Ai

Estúdio: Creators in Pack

Diretor: Hisayoshi Hirasawa

Sinopse

Yuma e Hotaru são amigas de infância, porém desde que Yuma arranjou um novo namorado, Hotaru começou a agir estranha e começa a oferecer ajuda com o novo relacionamento. Escondido de Takeda, seu namorado, Yuma começa a praticar beijos com Hotaru, mas o clima começa a ficar estranho. Agora Yuma não sabe porque está começando a preferir os beijos de Hotaru aos de Takeda.

Comentários

O próprio título do anime já fala, mas reiteramos a informação da análise anterior. IT’S A TRAP. E se você ainda não entendeu, tentamos em português: É UMA CILADA, BINO!

Hype: 1/10

Número de episódios vistos: 3 (2 e meio na verdade. Era muito ruim pra continuar. Tenham pena da gente.)

Realidade: 1/10

 

9.    Gamers!

Gênero: Comédia / Romance / Escolar

Estúdio: Pine Jam

Diretor: Manabu Okamoto

Sinopse

Essa é uma história de diversos estudantes e um hobby, games. Amano Keita é o protagonista solitário que adora ficar jogando. Uehara Tasuku, amigo de Keita, também joga mas tenta esconder dos outros. Por último temos Karen Tendou, presidente do clube de video game e Chiaki Hoshinomori que briga constantemente com Keita.

Comentários

Na análise anterior falamos que o anime seria uma comédia romântica clichê. Bom, acertamos, mas não em cheio. Existem alguns momentos dentro do anime que fogem do tradicional protagonista gosta de alguém, enquanto a outra pessoa não se interessa muito, mas eles acabam desenvolvendo o relacionamento ao longo do anime. Aqui as coisas acontecem um pouco mais rápido. E o que falar da introdução do anime, uma chuva de referências para os amantes dos games. Dá para acompanhar o anime, mas com cautela.

Hype: 2/10

Número de episódios vistos: 3

Realidade: 6,5/10

 

10. Isekai wa Smartphone to Tomo ni

Gênero: Aventura / Harem / Comédia / Romance / Fantasia

Estúdio: Production Reed

Diretor: Takeyuki Yanase

Sinopse

Touya Mochizuki foi morto acidentalmente, e como um pedido de desculpas, Deus permite que ele reviva em outro mundo e ele tem direito a um pedido. Mochizuki decide que ele quer reencarnar acompanhado de seu smartphone. Deus garante seu pedido e em sua segunda vida ele descobre diversos segredos do novo mundo. Ele acaba herdando o legado de uma civilização antiga e viaja sem se importar enquanto possui poderes capazes de rivalizar com os reis do mundo.

Comentários

Previmos um anime clichê com pitadas de ecchi. Quase acertamos em tudo. Em vários episódios parecia que o Ecchi ia começar e nada acontecia. Foi uma boa sacada, entretanto esse anime é basicamente um cover de Konosuba. Aliás, no terceiro episódio um dos personagens lança a Explosion da mesma forma que a Megumin. É assistível, mas não espere nada demais.

Hype: 1/10

Número de episódios vistos: 4

Realidade: 5,5/10

 

11. Knights & Magic

Gênero: Ação / Fantasia / Mecha / Escolar

Estúdio: 8Bit

Diretor: Yuusuke Yamamoto

Sinopse

Um otaku viciado em mechas morre e renasce em outro mundo com o nome de Ernesti Echevarria ou Eru. Nesse mundo, mechas movidos a magia são utilizados como armas pelos cavaleiros. Sonhando em pilotar um, Eru e seus amigos, Archid Olter e Adeltrud Olter tentam se tornar cavaleiros.

Comentários

O protagonista Ernesti é o melhor personagem sem sombra de dúvidas. Infelizmente, porque todos os outros não são interessantes, ficando óbvio nos momentos onde algum personagem morre. Os personagens parecem não ligar, porque uma espectador ligaria? A história é apenas boa. O que se destaca aqui é a animação. A animação 3D dos mechas está excelente. Gostei da escolha entre manter os mechas sempre em 3D, ao invés de alternarem entre o 2D e 3D.

Termômetro do hype: 2/10

Número de episódios vistos: 3

Realidade: 5,5/10

 

12. Shoukoku no Altair

Gênero: Aventura / Histórico / Drama / Fantasia / Shounen

Estúdio: MAPPA

Diretor: Kazuhiro Furuhashi

Sinopse

Tughril Mahmut é um jovem paxá (oficial turco) servindo ao divã (Câmara do conselho) da estratocracia turca. A guerra paira no ar devido as ameaças de um império agressivo. Com a divisão do divã em pacifistas e agressores, Mahmut inicia sua jornada para manter a paz a qualquer custo. Enquanto ele se aprofunda na política do mundo antigo, novos aliados e inimigos surgem. Quem irá prevalecer no final? Se a guerra for inevitável, que atitudes Mahmut irá tomar?

Comentários

Esse foi um que esperávamos muito, pois tem o nome de Kazuhiro Furuhashi na direção. Infelizmente parece que é exatamente na direção que o anime está pecando. A história está muito boa, mas o diretor ainda não acertou um ritmo para os acontecimentos. A qualidade do anime está boa, mas nada excelente. Talvez produzir mais de um anime está afetando a qualidade desse.

Termômetro do hype: 7/10

Número de episódios vistos: 3

Realidade: 5,5/10

 

13. Made in Abyss

Gênero: Ficção científica / Aventura / Drama / Fantasia

Estúdio: Kinema Citrus

Diretor: Masayuki Kojima

Sinopse

Abyss, um enorme sistema de cavernas, é o único local inexplorado do mundo. Ninguém sabe ao certo sua profundidade desse enorme buraco cheio de relíquias antigas e habitado por estranhas criaturas. Gerações de bravos aventureiros tentam desbravar Abyss e acabaram conhecidos como “Cave Raiders”. Em Oosu, a cidade na beira de Abyss, vive uma órfã chamado Rico que sonha em se torna um grande Cave Raider como sua mãe um dia foi. Um dia durante uma exploração, ela se encontra com um garoto robô.

Comentários

Esse era o anime desconhecido com o maior hype da temporada e até agora está mostrando o porque. Belíssima arte, personagens cativantes e carismáticos, além de momentos emocionantes. Riko e Regu compartilham o protagonismo e possuem uma dinâmica muito boa. Se o anime conseguir transmitir toda a tensão, emoção e mistérios do mangá, teremos o melhor anime da temporada e um dos melhores do ano.

Termômetro do hype: 9/10

Número de episódios vistos: 4

Realidade: 9/10

 

14. Isekai Shokudou

Gênero: Mistério / Comédia / Fantasia

Estúdio: Silver Link.

Diretor: Masato Jinbo

Sinopse

No porão de um edifício existe uma cafeteria chamada “Youshoku no Nekoya”. Ele está aberto a 15 anos servindo trabalhadores dos escritórios próximos. Entretanto, Nekoya esconde um segredo. Todos os sábados a cafeteria é fechada ao público para dar lugar a clientes especiais. Quando o sino toca, clientes de diversas raças e mundos entram na cafeteria para pedir pratos exóticos para eles, mas iguais aos que são servidos para os trabalhadores do mundo normal.

Comentários

O primeiro episódio do anime nos pegou de surpresa. Parecia que teríamos uma boa história e enredo, então veio o segundo e pensamos: “Ok, mais alguns personagens novos, talvez eles ainda estejam desenvolvendo alguns personagens.”. Com o terceiro e quarto concluímos que o anime tem como narrativa, ficar colocando novos clientes do restaurante a cada episódio sem desenvolver assim uma trama central. O diretor está fazendo um bom trabalho, pois cada episódio é muito bem trabalhado. Infelizmente, depois de 4 episódios, o interesse foi embora.

Termômetro do hype: 6/10

Número de episódios vistos: 4

Realidade: 6/10

 

15. The Reflection

Gênero: Ação / Super poderes

Estúdio: Studio Deen

Diretor: Hiroshi Nagahama

Sinopse

Após o fenômeno “Reflection”, pessoas em diversas partes do mundo descobrem que possuem super poderes. Uns se tornam heróis, enquanto outras, vilões. Como esse fenômeno ocorreu? Qual foi sua causa? Com tantos mistérios, o mundo está confuso.

Comentários

Hiroshi Nagahama (diretor de Mushishi) e Stan Lee juntos conseguiram criar algo que será lembrado pra sempre…como um dos piores animes da história. Aliás, tirando a dublagem em japonês, de anime não tem nada. Parece que estou lendo uma HQ. A palavra lendo foi proposital, porque a quantidade de quadros estáticos utilizados é enorme atrapalhando toda a fluidez. Até as clássicas onomatopeias Pow! e Zap!! Apareceram durante o primeiro episódio, só faltando os balões de diálogos para completar a sensação de HQ. Ainda falando sobre a qualidade gráfica, a animação tem queda de frames e parece que toda a staff estava usando LSD na hora de desenhar. Parece que a criatividade dos 2 grandes autores acabou, pois a história está parecendo uma repetição das clássicas histórias de super heróis que o Stan Lee já fez. E sim, Stan Lee aparece dentro da história. Acho que toda escola de animação devia usar esse anime nas aulas de “Como uma animação não deve ser feita”.

Termômetro do hype: 8/10

Número de episódios vistos: 2 (Ainda não foi lançado o terceiro até o momento desse review)

Realidade: 1/10

16. Vatican Kiseki Chousakan

Gênero: Mistério / Sobrenatural / Drama

Estúdio: J.C. Staff

Diretor: Yoshitomo Yonetani

Sinopse

No Vaticano existe uma organização que conduz investigações para provar a veracidade dos chamados milagres. A organização é chamada de “Seito no Za” e os padres são chamados de investigadores milagrosos. Robert Nicholas, um especialista em criptonálise e arquivos antigos, e Hiraga Josef Kou, um gênio cientista, são amigos e a dupla brilhante que investiga e desvenda incidentes e conspirações por trás dos milagres.

Comentários

O gênero Shounen foi tirado das informações do myanimelist e com razão. Todo o anime trabalha num tom dark durante as investigações dos eventos sobrenaturais. Isso tende mais pro lado do Seinen do que o Shounen. A animação é normal, mas devemos destacar a escolha de cores que foi perfeita. O roteiro no primeiro arco foi bastante corrido o que incomodou. Isso impactou diretamente o desenvolvimento dos personagens onde nenhum se mostrou interessante. Entretanto, o primeiro mistério desvendado foi muito bom e que infelizmente não podemos contar nada, pois seria um spoiler. Para quem gosta de mistérios, esse anime parece interessante.

Termômetro do hype: 6/10

Número de episódios vistos: 4

Realidade: 6,5/10

 

17. Keppeki Danshi! Aoyama-kun (Cleanliness Boy! Aoyama-kun)

Gênero: Comédia / Esportes / Seinen

Estúdio: Hibari

Diretor: Kazuya Ichikawa

Sinopse

O jovem gênio do futebol chamado Aoyama que tem um estilo de jogo limpo, literalmente. Por ser um fanático por limpeza, Aoyama não disputa bolas e não da cabeçadas. Até para cobrar um lateral, ele só faz se estiver usando luvas.

Comentários

Ainda estamos tentando entender o gênero Seinen que foi designado a ele. Não existe nada de Seinen, assim como ocorreu em Sakamoto Desu Ga. Aliás, as semelhanças não param por aí. Todo o episódio se baseia em Aoyama mostrar que é o rei no futebol, assim como Sakamoto mostrava que era o melhor em tudo. A diferença aqui é que Aoyama é um maníaco na limpeza. Isso acaba dando um ar de comédia hilário em certos momentos, mas previsíveis em outros. A melhor parte fica para a arte que está muito boa. Keppeki Danshi é um anime de comédia regular para bom que serve para passar o tempo, nada mais.

Termômetro do hype: 5/10

Número de episódios vistos: 4

Realidade: 5,5/10

 

18. Nana Maru San Batsu

Gênero: Game / Escolar / Seinen

Estúdio: TMS Entertainment

Diretor: Masaharu Okuwaki

Sinopse

Ao entrar no colégio, o aluno do primeiro ano Koshiyama Shiki foi convidado para entrar no clube de quis. Acompanhe Shiki ser arrastado por sua amiga Mari para o mundo do quiz competitivo.

Comentários

Não fizemos expectativas desse anime, pois, sinceramente, não havia nenhuma. A questão é que ele precisa ser citado aqui e já vamos falar o porque. Nana Maru San Batsu é um bom anime, mas nada extraordinário. O surpreendente é o tema em si. Nem sabiamos da existência de quiz competitivo quando vimos. A arte é regular pra boa. Aí vem a pergunta: “Poxa, então pra que vocês precisam citar esse anime se ele é apenas mediano pra bom?”. Na verdade, ele é ruim pra regular, mas por uma razão que nunca esperariamos. A dubladora da Mari foi MUITO mal escalada pra esse papel e bota ênfase nesse muito. Não sei como a voz dela passou no teste pra ser uma das protagonistas do anime. O timbre da voz dela é bem diferente do tradicional utilizado em personagens adolescentes. Não que isso seja ruim, o problema é que isso vem acompanhado de uma dublagem totalmente sem vida. Todos os personagens são enérgicos e quando a Mari abre a boca, tudo parece ultra sério até os momentos cômicos.

Número de episódios vistos: 4

Realidade: 4,5/10