[Última Sessão] O Hobbit: Cinco motivos para você repensar os filmes

Adaptar um livro para uma versão em movimento nas telonas é sempre um desafio; poucos são bem sucedidos em agradar a fãs como aconteceu com a trilogia O Senhor dos Anéis, cujo primeiro filme foi lançado em 2001 com a direção de Peter Jackson. Cerca de uma década após este marco, o diretor retornaria à Terra Média para adaptar O Hobbit. Como indiscutível fã do legado deixado por Tolkien, fiquei confortável, assim como muitos, com o filme estar nas mãos de alguém que já se provara capaz.

Ao contrário das expectativas, O Hobbit não teve a mesma aceitação da primeira trilogia e não é meu papel hoje falar o que pensei de cada um. Recentemente, todo bom fã das produções citadas devem ter se deparado com uma afirmação onde o diretor das trilogias afirmou que “não sabia que diabos estava fazendo”.  Bem, com certeza ele não sabia o que estava fazendo durante a Desolação de Smaug inteira, mas existem alguns pontos que conectam as histórias que me fizeram minimamente sorrir pelo cuidado que tiveram (uma herança que trouxeram de O Senhor dos Anéis, felizmente). Eis aqui cinco deles:

Primeiro: Era um pequeno baú… e ainda cheira a troll!

Logo após Bilbo ter o flashback de introdução em Uma Jornada Inesperada, encontramos Frodo questionando sobre as ações esquisitas de seu tio. Em determinado momento, Bilbo brinca que os Sacola-Bolseiros acreditam que existem túneis de ouro e prata escondidos em Bolsão, ao que o hobbit responde o quão absurdo era, pois ele trouxe apenas um pequeno baú que ainda cheira a troll. Pois bem, trata-se do mesmo baú que os anões deixaram enterrado na caverna onde acharam as espadas Glamdring, Orcrist e Ferroada.

Na versão do livro, Bilbo ainda retorna de Erebor com um baú de prata e ouro.

Bau

Segundo: Ela tinha todas as minhas colheres em seu bolso!

Os Sacola-Bolseiros sempre foram uma dor de cabeça a parte para Bilbo. Nos livros sempre são descritos como primos distantes invejosos que desejam tomar Bolsão para si. Ainda na cena de abertura, Bilbo diz que um dia achou Lobelia roubando os talheres de prata. Esta cena é mostrada no final de Batalha dos Cinco Exércitos, quando Bilbo retorna para casa e vê que seus pertences estão sendo leiloados.




Lobelia

Terceiro: Precisamos voltar!

O Hobbit possui várias cenas cômicas causadas pelo desconforto do personagem principal em estar naquele tipo de aventura, tão pouco usual entre os Bolseiros – ainda que seu lado Tûk não se incomode tanto. Logo que parte com a comitiva, Bilbo tem uma crise alérgica ao pelo dos cavalos e pede para todo o grupo voltar pois esqueceu seu lenço em casa. Ao retornar de sua aventura, o pequeno lenço com as iniciais estava lá, caído no chão. Como disse o Thorin, “um prêmio humilde para levar para casa”

Lenço

Quarto: I miss my books…

No primeiro filme da trilogia, quando Bilbo reencontra a comitiva de Thorin Escudo de Carvalho após encontrar o Um Anel na caverna do Gollun, o hobbit diz que está disposto a ajudar os anões e recuperarem seu lar, admitindo que sente falta dos livros, de sua poltrona e de seu jardim.

No clímax da Batalha dos Cinco Exércitos, nos momentos finais de Thorin, o anão agradece por ter um amigo por perto e, depois de recuperar a sanidade sobre o conceito de lar, responde ao hobbit: “Volte para seus livros, para sua poltrona, plante suas árvores e veja-as crescer”.

poltrona e jardim

Quinto: Não se incomodem em bater.

Na primeira cena de contato de Bilbo com os anões é com um carrancudo Dwalin batendo a sua porta, seguido de um simpático Balin. Os orgulhosos Fili e Kili chegaram logo antes do resto da comitiva, sendo Thorin o último a aparecer. Os anões fazem um belo banquete na casa do hobbit.

Por outro lado, na última cena em que vemos os anões reunidos, Bilbo fala: “Se algum dia estiverem passando por Bolsão… o chá é servido às 16h… e tem bastante. Vocês podem aparecer quando quiserem. E não se incomodem em bater”. Uma pequena referência ao primeiro filme, afinal.

Bater na porta

Sexto (Extra): Easteregg em The Last Goodbye

Aqui vai um extra que me deixou realmente emocionado: A Batalha dos Cinco Exércitos encerra com a bela canção de Billy Boyd. A última da frase da música é “I bid you all a very fond farewell”. Não por coincidência, é a última frase que Bilbo profere durante seu discurso de aniversário, em A Sociedade do Anel.

Com esta frase Bilbo se despediu do Condado. E com esta frase nos despedimos da Terra Média (até que os direitos de O Silmarillion sejam vendidos, ao menos).

 

E você aventureiro, o que achou da trilogia? Responda nos comentários!

Estudante de psicologia, marketing, comunicação visual, análise do comportamento, magia arcana e healer nas horas vagas. Apaixonado por Senhor dos Anéis, fantasia medieval, RPG, cerveja, rock, séries e filmes de heróis.